Turquia permite treinamento de sírios em seu território

A Turquia concordou em permitir o treinamento de cerca de dois mil combatentes sírios no solo do país pelas forças especiais norte-americanas e turcas, afirmaram autoridades neste sábado. O país resistiu durante muito tempo aos treinamentos em seu território, e autoridades de ambas as nações acreditam que a mudança poderá impulsionar a missão liderada pelo Pentágono.

THIAGO MORENO, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

11 de outubro de 2014 | 11h10

Autoridades norte-americanos confirmaram na sexta-feira que os turcos haviam concordado em fornecer treinamento para os rebeldes moderados sírios, mas os detalhes ainda precisariam ser discutidos nas próximas semanas.

Segundo um oficial turco, o serviço de inteligência do país usará sua própria base de dados para selecionar os primeiros dois mil combatentes que vão receber o treinamento na Turquia. Ele serão treinados em grupos de 400 homens, acrescentou a autoridade.

A Arábia Saudita já havia concordado em permitir que seu território fosse usado para o novo programa de treinamento, que ocorreria paralelamente à missão já existente da CIA para formação e armamento.

O treinamento da oposição moderada síria faz parte do programa ampliado dos Estados Unidos contra militantes do Estado Islâmico na região. Os rebeldes treinados poderiam usar o conhecimento tanto para conter o avanço dos extremistas como na luta contra o presidente Bashar Assad, inimigo dos norte-americanos.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaTurquiatreinamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.