Turquia prende 26 por suposto plano contra governo

A polícia da Turquia deteve pelo menos 26 pessoas em uma nova onda de prisões de supostos envolvidos com um plano de golpe secularista para derrubar o governo de raízes islâmicas, informou hoje a agência estatal Anatólia. As detenções se seguiram a batidas policiais nas sedes de um sindicato dos trabalhadores do setor de metal, entidade secularista, e em uma emissora de televisão da oposição, entre outros locais, informou a Anatólia.A agência informou que mais de 26 pessoas foram detidas em 13 províncias, incluindo vários militares e policiais da ativa. Só na capital, Ancara, seis pessoas foram interrogadas, entre eles, o presidente do sindicato, o dono de uma empresa de pesquisas políticas e um jornalista, revelou a agência. A polícia não confirmaria imediatamente as detenções, que ameaçam aprofundar as divisões entre os secularistas e os islâmicos e agravar as tensões.Os secularistas acreditam que a série de detenções tem como objetivo silenciar os oposicionistas. Porém, o governo argumenta que a investigação sobre o suposto golpe está livrando a Turquia de uma rede de agentes renegados que querem desestabilizar o país.Ao todo oitenta e seis suspeitos - a maioria críticos ferozes do governo - serão julgados por supostamente pertencer a uma organização chamada Ergenekon, que segundo os promotores querem derrubar o governo. Os réus são acusados de tentar desestabilizar a Turquia através de uma série de ataques antes de um golpe, supostamente planejado para 2009.Na semana passada, uma corte antiterror de Istambul formalmente prendeu outros 18 suspeitos por golpe, incluindo um ex-chefe da polícia e quatro oficiais militares da ativa. Com isso, o número de pessoas acusadas de envolvimento no caso passa de 100. A polícia também descobriu grandes quantidades de explosivos, armas e munição enterrados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.