Turquia rejeita proposta iraquiana para conter curdos

Ancara exige extradição de 153 líderes do grupo separatista, mas Iraque aceita entregar apenas 18

Reuters e Associated Press, Ancara, O Estadao de S.Paulo

27 de outubro de 2007 | 00h00

Helicópteros e caças turcos atacaram ontem posições de rebeldes curdos no norte do Iraque, enquanto eram iniciados em Ancara esforços diplomáticos para impedir uma ofensiva em larga escala no território iraquiano contra militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).A Turquia descreveu como insatisfatória a série de propostas apresentadas pela delegação iraquiana de alto escalão para conter as atividades dos separatistas, revelou um diplomata turco, dizendo que seu país exige a extradição dos rebeldes do PKK que mantêm bases no Iraque."Essas propostas não atendem nossas expectativas", disse o diplomata. Ele não deu muitos detalhes, apenas disse que as propostas iraquianas incluíam o corte de apoio logístico ao PKK, a limitação do movimento do grupo separatista e o fechamento de seus escritórios."Todos (os membros do PKK no norte do Iraque) lá são culpados. Eles são criminosos, pelo menos por serem membros de uma organização terrorista", disse ontem o vice-primeiro-ministro turco, Cemil Cicek. "Queremos que todos sejam entregues a nós", declarou, acrescentando que Ancara deu ao Iraque uma lista com os nomes do líderes do PKK.A TV CNN, citando funcionários iraquianos, disse que a Turquia pediu a extradição de 153 membros do PKK. Segundo TV, funcionários iraquianos disseram que poderiam entregar apenas 18 membros do PKK, dizendo que não têm condições de capturar os outros. A Turquia enviou mais de 100 mil soldados ao longo de sua fronteira com o Iraque para uma possível operação em larga escala no norte iraquiano contra os cerca de 3 mil militantes do PKK, que usam as montanhas de Qandil como base para seus ataques ao território turco. Ancara atribui ao PKK a morte de mais de 30 mil pessoas desde 1984, quando o grupo iniciou sua luta armada pela criação de um Estado independente.A agência semi-estatal Anatolia disse que helicópteros turcos dispararam ontem contra alvos do PKK localizados por meio de missões de reconhecimento. Desde o domingo - após os rebeldes terem atacado um posto militar, matando 12 soldados turcos -, o Exército da Turquia vem lançando breves incursões no norte do Iraque e bombardeando vilarejos.O governo de Ancara vem sofrendo intensa pressão interna para lançar uma ampla ofensiva contra o PKK, que já foi autorizada pelo Parlamento. O primeiro-ministro Recep Erdogan disse repetidamente que não vai tolerar mais ataques do PKK e pediu às autoridades iraquianas e americanas que adotem passos concretos para impedir uma ação militar turca.O principal comandante dos EUA no norte do Iraque, general Benjamin Mixon, disse ontem que não há planos para agir contra os rebeldes curdos, acrescentando que isso não é de responsabilidade das forças americanas. Ele também declarou que também não viu nenhuma iniciativa das autoridades curdas iraquianas para conter os militantes do PKK.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.