Turquia se oferece para receber urânio do Irã

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan disse neste domingo que seu país está disposto a servir como destino para o combustível nuclear do Irã em um eventual acordo entre Teerã e o Ocidente. "A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmou que a Turquia poderia servir como centro para troca de urânio, mas não há um acordo até agora", declarou em coletiva de imprensa realizada em Doha, capital do Qatar. "Caso a Turquia seja escolhida, fará o que for solicitado", afirmou Erdogan, acrescentando que Ancara tem tentado há meses ajudar a resolver a crise sobre o controverso programa nuclear iraniano.

FILIPE DOMINGUES, Agencia Estado

14 de fevereiro de 2010 | 13h17

Erdogan estava prestes a se reunir com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, que chegou hoje a Doha para conversar com nações do Golfo sobre o tema. Os Estados Unidos pedem uma nova rodada de sanções por parte das Nações Unidas contra Teerã.

O Ministro de Relações Exteriores da Turquia, Ahmet Davutoglu, cujo país tem boas relações com a república islâmica e vem insistentemente se oferecendo para servir de mediador, deve visitar o Irã nos próximos dias com objetivo de buscar uma solução diplomática. O Irã nega as acusações de que está tentando construir uma bomba nuclear, mas na terça-feira anunciou o início de um processo de produção de urânio enriquecido a 20%, desprezando ameaças do Ocidente a respeito das sanções. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãurânioTurquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.