Turquia terá embaixador entre os palestinos

O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Abdullah Gul, comentou que o governo de seu país considera a possibilidade de ampliar o status de sua representação diplomática nos territórios palestinos, com a indicação de um embaixador. Ao mesmo tempo, o chanceler turco deu a entender que Ancara pode convocar para consultas seu embaixador em Israel. No jargão diplomático, isso demonstra a insatisfação de um governo com as políticas do outro.Os comentários de Gul vêm à tona um dia depois de o primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, ter rejeitado um convite para visitar Israel, informou a imprensa turca. Durante reunião com o ministro de Infra-Estrutura de Israel, Joseph Paritzky, Erdogan disse que o momento não é adequado para uma visita ao Estado judeu, disse uma fonte do governo.A imprensa turca citou Erdogan dizendo que Israel precisa primeiro adotar medidas concretas rumo à paz. Erdogan também teria dito ao ministro israelense que a incursão militar contra o campo de refugiados de Rafah - na qual 45 palestinos foram assassinados e dezenas de casas, destruídas - foi um ato de terrorismo, pois os palestinos não têm tanques nem mísseis, informou a emissora NTV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.