Turquia veta entrada de líder dos "escudos humanos" no país

A polícia fronteiriça proibiu o ingresso na Turquia de um ex-fuzileiro naval dos Estados Unidos que está liderando um grupo de "escudos humanos" em viagem para o Iraque, afirmou um funcionário. O grupo quer chegar àquele país antes de um possível ataque liderado pelos EUA.Ken O´Keefe, fundador do grupo de protesto "Missão Escudos Humanos", que viajou de avião da Itália para a Turquia, não teve permissão para entrar no país quando apresentou um passaporte expedido pela Autoridade do Serviço Mundial.Um porta-voz do aeroporto de Istambul, falando sob condição de anonimato, disse que a Turquia não reconhece esse passaporte.O porta-voz afirmou que O´Keefe protestou, gritando que ele havia viajado por todo o mundo com aquele passaporte e que era um "cidadão do mundo". A Autoridade do Serviço Mundial, sediada nos Estados Unidos, emite passaportes com base em um artigo da Declaração Universal dos Direitos do Homem, das Nações Unidas, que garante o direito de viajar livremente. A autoridade afirma que o passaporte é reconhecido em mais de 150 países.Outros cinco ativistas que acompanham O´Keefe tiveram permissão para entrar no país, enquanto ele tomou um avião de volta para a Itália.O´Keefe, de 33 anos, é um veterano da Guerra do Golfo, ocorrida em 1991. Ele renunciou à cidadania norte-americana quatro anos atrás, em protesto contra a política exterior dos Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.