TV indonésia identifica suspeito de atentado em Jacarta

Uma emissora indonésia de TV identificou nominalmente na segunda-feira um possível suspeito dos dois atentados suicidas de sexta-feira em um hotel de luxo de Jacarta. De acordo com a reportagem, o suspeito tinha ligações estudantis com membros do grupo radical Jemaah Islamiah.

TELLY NATHALIA, REUTERS

20 de julho de 2009 | 10h41

A polícia ainda investiga os ataques contra os hotéis JW Marriott e Ritz-Carlton, no principal bairro empresarial de Jacarta, que mataram nove pessoas e deixaram 53 feridos, entre estrangeiros e indonésios.

Até agora, a polícia só havia identificado um dos suspeitos como "N", sem dar detalhes. De acordo com o canal privado Metro TV, trata-se de um homem chamado Nurhasbi, cuja família diz que ele não voltou para casa nem atendeu telefonemas desde sexta-feira.

A família contou ainda que Nurhasbi formou-se em 1995 no internato islâmico Ngruki, na cidade de Solo, no centro de Java. Essa escola é mantida pelo clérigo militante Abu Bakar Bashir, e por lá passaram vários membros da Jemaah Islamiah, grupo responsável por uma série de atentados em Jacarta e na ilha turística de Bali.

A imprensa local disse que a polícia também visitou a família de Nurhasbi, possivelmente para acompanhar exames de DNA que estão sendo usados para identificar vítimas das explosões.

As duas explosões encerraram uma trégua de quatro anos em atentados desse tipo no país. De acordo com especialistas e a polícia, os ataques têm todas as características da Jemaah Islamiah, mais especificamente de uma facção paralela dirigida pelo extremista malaio Noordin Top.

Uma terceira bomba foi achada e desativada dentro de uma pasta para laptop que estava no quarto 1808 do hotel Marriott.

Tudo o que sabemos sobre:
INDONESIASUSPEITOIDENTIFICADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.