TV mostra pela 1ª vez imagens do submarino Kursk

A televisão russa mostrou hoje pela primeira vez algumas imagens do interior do submarino nuclear Kursk, que afundou no Mar de Barents em 12 agosto de 2000 com 118 marinheiros a bordo - todos mortos na tragédia. O interior do submarino, que agora se encontra em uma doca do porto de Roslyakovo, no norte da Rússia, foi apresentado à televisão RTR pelo promotor-geral Vladimir Ustinov. As câmaras mostraram metais retorcidos e grandes buracos abertos próximos à porta de acesso ao Kursk. Segundo Ustinov, as duas explosões que causaram o afundamento do submarino ocorreram com um intervalo de cerca de 135 segundos uma da outra e destroçaram imediatamente os marinheiros que se encontravam na parte da frente do submarino. "O que aconteceu nesses compartimentos é comparável ao inferno", afirmou o promotor. O fogo, que elevou a temperatura dentro do submarino para 8.000ºC, foi bloqueado por grandes barreiras metálicas, que impediram que as chamas atingissem o sexto compartimento, onde se encontravam dois reatores nucleares, além de outros setores onde se encontravam 22 torpedos Granit. Na popa do submarino os marinheiros levaram sete ou oito horas para morrer pelo monóxido de carbono que penetrou no local através do sistema de ventilação da embarcação. Nos últimos dias foram retirados os corpos de 19 marinheiros, enquanto outros 12 já haviam sido recuperados em outubro do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.