TV por satélite pode custar a cubanos três anos de prisão

O governo de Cuba anunciou que quem for flagrado usando equipamento ilegal para captar transmissões via satélite de emissoras de televisão em língua espanhola a partir de Miami pode ser condenado a até três anos de prisão.Desde o afastamento temporário do presidente cubano, Fidel Castro, na semana passada, depois de se submeter a uma cirurgia, as emissoras têm acompanhado intensamente a situação em Cuba, mostrando inclusive exilados cubanos comemorando o problema de saúde do líder.O jornal cubano Granma qualificou a programação de "desestabilizadora" e "subversiva", dizendo se tratar de parte do plano do presidente americano, George W. Bush, para anexar a ilha.O governo dos Estados Unidos disse que vai aumentar os recursos para as suas próprias emissoras voltadas para o público cubano, a estação de rádio e de televisão Martí."A TV Martí é uma fonte de informação, notícias e debates caracterizada pela objetividade do jornalismo profissional, que não responde aos poderosos interesses do Estado", afirmou o diretor da organização, Pedro V. Roig.Mas, quando se assiste ao canal de TV ou se ouve a emissora de rádio, a programação é recheada de declarações de autoridades americanas sobre o futuro da ilha, criticando o modelo político vigente em Cuba e defendendo o fim do regime castrista, de acordo com a enviada especial da BBC a Miami, Andrea Wellbaum. O canal transmitiu ao vivo o discurso da secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, na semana passada, em que ela disse que o governo americano vai defender o povo cubano no direito de escolher o governo que quer livremente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.