TV processa mulher que se passou por embaixadora síria

France 24 transmitiu entrevista em que 'embaixadora' dizia renunciar em protesto a violência

AE, Agência Estado

09 de junho de 2011 | 15h20

Em foto de 2008, a então recém nomeada embaixadora Lamia Shakkur se encontra do Assad

 

PARIS - A emissora de televisão France 24 está tomando ações legais contra uma mulher que, ao se passar pela embaixadora da Síria na França, anunciou sua renúncia ao vivo. "A France 24 oficialmente abriu um processo no Ministério Público sobre o roubo de identidade e personificação", disse a emissora, em comunicado.

 

A embaixadora Lamia Shakkur foi a outros canais de televisão e negou o anúncio depois de a mulher ter surpreendido a France 24, que a contatou por telefone via embaixada, ao fazer a declaração em entrevista na noite de terça-feira, 7. "A France 24 não tem opção a não ser considerar seriamente as negativas da senhora Shakkur", afirmou a emissora.

 

A televisão "solicitou análises comparativas que mostram que a voz ouvida durante a entrevista realizada pela France 24 na noite de terça-feira é diferente da voz que mais tarde negou a declaração na BFM TV", uma outra emissora de televisão. Na entrevista de terça-feira, a mulher que afirmou ser a embaixadora disse que estava deixando o cargo em protesto contra o "ciclo de violência" e da forte repressão das autoridades sírias aos manifestantes.

 

A France 24 disse que entrou em contato com a mulher que afirmava ser Shakkur por telefone, de acordo com informações da assessoria de imprensa da embaixada, por meio de seu número de telefone e endereço de e-mail habituais. A emissora disse que tanto ela quanto a embaixadora foram vítimas e espera que Shakkur a e embaixada "deem total apoio a este processo e colaborem totalmente com as investigações".

 

Mais de 1,2 mil civis, dentre eles dezenas de crianças, foram mortos desde março, quando começou a repressão contra manifestantes contrários ao governo sírio.

Tudo o que sabemos sobre:
processoTVFrançaSíriaembaixada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.