TV vai mostrar 24 horas de De la Rúa

A fórmula do "Big Brother" - reality show de sucesso em todo o mundo -, que consiste em transmitir 24 horas por dia a vida - crua e nua - de pessoas reais, desembarcará em breve em um dos lugares mais pacatos da Argentina: a Casa Rosada, sede de governo. Neste caso, o Big Brother argentino terá uma característica particular: seguir diariamente o presidente Fernando de la Rúa.A brilhante idéia é do secretário de Cultura, Dario Lopérfido, e do secretário-geral da presidência, Nicolás Gallo, e foi anunciada pelo porta-voz presidencial, Juan Pablo Baylac. O porta-voz diz que é preciso que o governo se adapte aos novos tempos da comunicação e, por isso, haverá uma câmera fixa permanentemente, registrando as atividades presidenciais até a exaustão. O canal 7, de propriedade estatal, será encarregado de transmitir os flashes do cotidiano de De la Rúa.A intenção do governo é afastar a idéia de que o atual presidente é homem de pouca ação, além de lento em suas decisões.A pressa em instalar a câmara que registre um De la Rúa um pouco mais ativo é grande: em outubro serão realizadas eleições parlamentares cruciais, e, segundo diversas pesquisas, o governo poderia sofrer uma grande derrota. O ácido humor portenho costuma retratar o presidente De la Rúa como um homem sonolento, que não percebe o que acontece ao seu redor. De la Rúa é chamado de "esse lentíssimo presidente" (em alusão sonora a "excelentíssimo presidente"), além de "Frenando De la Duda" (Freando da Dúvida). Nos programas humorísticos da TV, a figura presidencial perdeu todo o respeito: De la Rúa é representado como um homem constantemente de pijama, com arteriosclerose profunda, que nem se lembra do cargo que ocupa.Além disso, é caricaturado como um presidente fraco, obediente ao super-ministro da Economia, Domingo Cavallo, visto como o verdadeiro comandante do país. Carlos Figueroa, garçom de um café da Avenida de Mayo, disse à Agência Estado que duvida do sucesso do reality show presidencial: "Se o Big Brother normal já é um tédio, imagine com o presidente De la Rúa. Vai ser bom para a insônia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.