TV venezuelana divulga imagens de repórter em poder das Farc

Sequestrado há um mês pela guerrilha, Romeo Langlois deve ser solto amanhã em operação da Cruz Vermelha

BOGOTÁ, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2012 | 03h08

A rede de TV venezuelana Telesur exibiu ontem um vídeo com imagens do jornalista francês Romeo Langlois. O repórter, sequestrado há um mês pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), deve ser libertado amanhã, em uma operação do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV). Nas imagens, o repórter aparece com um curativo no braço e responde a perguntas de uma guerrilheira.

Segundo as Farc, as imagens foram gravadas duas horas depois da captura de Langlois, durante um confronto entre a guerrilha e o Exército colombiano no departamento (Estado) de Caquetá, em 28 de abril. O vídeo foi obtido pelo jornalista independente Karl Penhaul e entregue à TV venezuelana.

No começo do vídeo, Langlois diz seu nome, profissão e nacionalidade. Questionado sobre o que fazia em companhia do Exército colombiano, ele afirma cobrir todos os lados do conflito colombiano, até mesmo tendo entrevistado o ex-número 2 das Farc Raúl Reyes.

"Sabia que estava em uma zona de conflito e compreendia o risco", disse o repórter. "Mas a verdade é que não sabia que as coisas ficariam tão terríveis."

Em uma entrevista ao repórter que obteve o vídeo, o comandante da Frente 15 das Farc, Colacho Mendoza, responsável pelo sequestro, disse que Langlois fora baleado no braço. Segundo ele, o jornalista perdeu parte da mobilidade do membro, mas a bala não atingiu nenhum nervo ou tendão e ele está se recuperando e recebendo antibióticos e analgésicos. "Ele teve sorte. Foi um tiro de AK-47 que o atingiu", disse Mendoza.

Ainda de acordo com o líder guerrilheiro, seus homens demoraram duas horas para perceber que havia um estrangeiro no tiroteio. Langlois usava algumas indumentárias do Exército colombiano. "Foi nesse momento que ele decidiu se entregar", disse. "Ele não tinha opções: ou se rendia ou acabaria morto durante a operação."

No final de semana, as Farc entregaram as coordenadas do local de resgate ao CICV, à ex-senadora colombiana Piedad Córdoba e a um enviado do presidente francês, François Hollande. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.