TVs tomarão cuidado com a cobertura de guerra

Executivos de televisão, convidados pelo escritório do primeiro-ministro Tony Blair para discutir a cobertura de guerra e a veiculação de vídeos de Osama bin Laden, afirmaram hoje que eles são "as melhores pessoas para julgar o que deve ou não ser veiculado". O governo britânico expressou preocupação sobre a possibilidade de que dois vídeos liberados pelo canal de televisão a cabo árabe Al-Jazeera pudessem conter mensagens codificadas aos seguidores do dissidente saudita em outros países. "Continuaremos lidando com todo o material com muito cuidado", afirmaram executivos da BBC, Independent Television News (ITN) e Sky News, em comunicado conjunto emitido depois de um encontro com Alistair Campbell, diretor de comunicação de Tony Blair. "Como pessoas responsáveis, estamos atentos para as questões de segurança internacionais e nacionais e o impacto que reportagens possam causar em diferentes comunidades e culturas" disseram os executivos. Um porta-voz de Blair afirmou que os executivos concordaram em não especular sobre os planos de viagem do premier. O escritório de Blair, que se recusa a confirmar seus planos de viagem por motivos de segurança, reclamou na semana passada que um jornalista da BBC havia divulgado detalhes sobre a viagem do primeiro-ministro ao Oriente Médio. Leia o especial

Agencia Estado,

15 Outubro 2001 | 17h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.