Tymoshenko pode ser libertada para se tratar no exterior

O presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, disse nesta quinta-feira que vai assinar uma lei autorizando a libertação de sua rival política Yulia Tymoshenko da prisão para buscar tratamento médico no exterior, numa tentativa de abrir o caminho para a ex-república soviética assinar um importante acordo comercial com a União Europeia.

Agência Estado

17 de outubro de 2013 | 14h00

O comentário é o sinal mais claro de que Yanukovych está disposto a resolver a questão de Tymoshenko, que foi detida há dois anos sob a acusação de abuso de poder. A situação de Tymoshenko tem atrapalhado a ambição da Ucrânia de ter um relacionamento mais próximo com a UE.

Yanukovych, no entanto, não deu indicações de que esteja disposto a perdoar a ex-primeira-ministra ucraniana, como vem sendo pedido pela UE.

"Forças políticas representadas no Parlamento prepararam um projeto de lei que vai permitir que essa tarefa seja resolvida", disse Yanukovych numa cidade no leste da Ucrânia, segundo a agência de notícias Interfax. "Naturalmente, se o Parlamento aprovar a lei, vou sancioná-la."

A proposta em questão autoriza presidiários a viajar para o exterior para tratamento médico. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaTymoshenko

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.