Ucrânia alerta para consequências da crise no país

O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseniy Yatsenyuk, alertou nesta quarta-feira que o conflito no leste do país está causando danos de longo prazo à economia ucraniana.

Estadão Conteúdo

20 de agosto de 2014 | 20h01

A Ucrânia, disse ele, está "perdendo potencial econômico a cada dia". Yatsenyuk ainda acrescentou que restaurar a infraestrutura do país pode custar bilhões de dólares. O aviso acontece em meio a pesados combates entre forças de Kiev e separatistas pró-Rússia, apesar do esforço diplomático para acabar com o conflito que já dura quatro meses. Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Ucrânia, Petro Poroshenko, além de autoridades da União Europeia, se reunirão na terça-feira para discutir a questão.

Yatsenyuk acusa os separatistas, apoiados pela Rússia, de atingirem instalações como minas, usinas de energia e ferrovias deliberadamente. "Está claro que esta é uma ação planejada para nos estrangular economicamente", disse. A Rússia nega as acusações de envio de combatentes e armas para apoiar os insurgentes.

Destacando a necessidade de recursos, o ministro das Finanças da Ucrânia, Oleksandr Shlapak, solicitou ao Fundo Monetário Internacional (FMI) a antecipação da última das três parcelas do crédito no valor de US$ 3,6 bilhões que Kiev espera receber este ano. Yatsenyuk disse esperar que o Conselho de Administração do FMI decida sobre a parcela de US$ 1,4 bilhão em 29 de agosto.

O FMI exigiu que Kiev corte gastos, aumente o preço do gás para as famílias e deixe de intervir no câmbio. Os ajustes, porém, têm sido prejudicados pelo desvio de fundos para a operação militar no leste do país, segundo Yatsenyuk. Pelos cálculos do FMI, a economia ucraniana deve encolher 6,5% neste ano. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniacriseeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.