Ucrânia anuncia liberação de navio por piratas somalis

O presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, anunciou hoje a liberação do navio MV Faina sequestrado por piratas na costa da Somália desde setembro. De acordo com um porta-voz dos proprietários do navio, foi pago resgate aos piratas. O comunicado de Yushchenko não se refere ao resgate, mas diz que a embarcação foi liberada como resultado de uma operação envolvendo agentes dos serviços especiais ucranianos.O MV Faina carregava uma carga de tanques, outras armas e cerca de 20 tripulantes ucranianos. Ele foi capturado em setembro, perto da costa somali. Havia temor de que as armas ficassem com insurgentes somalis ligados à rede terroristas Al-Qaeda. Segundo a agência russa Itar-Tass, a porta-voz presidencial Irina Vannikova disse que "o navio está agora sob a guarda de forças da Marinha dos Estados Unidos e se preparando para seguir ao porto queniano de Mombasa". A Itar-Tass afirmou que o resgate pago era de US$ 3,2 milhões, mas o valor não foi confirmado oficialmente.Um dos piratas disse, por telefone satélite, que alguns dos piratas permaneciam a bordo. "Nós não estamos mais mantendo-o", afirmou Aden Abdi Omar, um dos que deixaram o navio. "Mas nossos homens devem desembarcar primeiro para que ele possa seguir para onde queira."No ano passado houve um aumento dos casos de pirataria na Somália. Um total de 111 ataques em navios ocorreram, com 42 deles capturados. A Somália não tem uma guarda costeira nem uma Marinha, pois não tem um governo que controle de fato o país desde que senhores da guerra derrubaram o ditador Mohamed Siad Barre, em 1991. Eles então passaram a combater entre si, deixando a Somália em situação caótica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.