AFP PHOTO/ ANATOLII STEPANOV
AFP PHOTO/ ANATOLII STEPANOV

Ucrânia corta fornecimento de gás para região separatista

Empresa estatal de gás, a Naftogaz, informou que a interrupção na região ocorre em razão de danos nos gasodutos

O Estado de S. Paulo

19 de fevereiro de 2015 | 14h52

KIEV - O governo ucraniano elevou a pressão sobre os separatistas nesta quinta-feira, 19, ao cortar o envio de gás para o leste ucraniano. A empresa estatal de gás, a Naftogaz, informou que a interrupção na região ocorre em razão de danos nos gasodutos.

Segundo Andrei Purgin, integrante da autodeclarada República Popular de Donetsk, a região vai usar seus os estoques de gás e "buscar uma saída para deixar de usar o gás russo".

Tropas ucranianas começaram a abandonar Debaltseve na quarta-feira, após semanas de pesados confrontos. Um porta-voz militar ucraniano disse nesta quinta-feira que mais de 90% das forças foram retiradas de Debaltseve e das proximidades, mas não esclareceu quando a ação será concluída.

A cidade é significativa para os rebeldes porque é um entroncamento ferroviário que fica na rota mais direta entre Donetsk e Luhansk, as duas principais cidades da região. O porta-voz militar Andriei Lysenko afirmou nesta quinta-feira que as três semanas de cerco deixaram a infraestrutura da cidade em ruínas. "O estratégico entroncamento ferroviário deixou de existir da forma como era", afirmou ele em Kiev.

Comunicado do comando geral militar ucraniano diz que 13 soldados foram mortos e 157 ficaram feridos por disparos de artilharia durante a retirada. Mais de 90 soldados foram feitos prisioneiros durante um combate por Debaltseve o destino de outros 82 é desconhecido. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
Ucrâniagáscortefornecimentoleste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.