Mstyslav Chernov/AP
Mstyslav Chernov/AP

Ucrânia denuncia ofensiva pró-russa na região de Donetsk

Primeiro-ministro ucraniano diz que forças pró-Rússia iniciaram ofensiva no leste do país; porta-voz dos separatistas nega ação

O Estado de S. Paulo

03 de junho de 2015 | 10h56

KIEV - A Ucrânia denunciou nesta quarta-feira que as milícias rebeldes iniciaram uma ofensiva contra as forças do governo na região de Donetsk, no leste do país. Porta-vozes dos separatistas negam a ação.

"Ontem (terça-feira), a Rússia ignorou a reunião trilateral (de Minsk) e hoje ordenou a seus terroristas iniciarem uma ofensiva militar", disse Arseni Yatseniuk, primeiro-ministro ucraniano, citado pela imprensa local.

As declarações de Yatseniuk foram feitas durante uma visita de inspeção a uma base militar na região ocidental de Lviv, onde a Guarda Nacional ucraniana e tropas americanas realizam operações conjuntas.

O primeiro-ministro ucraniano lembrou que isto ocorre às vésperas da cúpula do G7 na Alemanha, onde espera que "a comunidade internacional responda de maneira correta e adequada à agressão russa". Segundo Yatseniuk, este é um "novo desafio para a comunidade internacional".

De acordo com o comando militar ucraniano, os rebeldes bombardeiam desde a madrugada as posições governamentais com tanques, artilharia e morteiros.

"O inimigo tenta avançar. Os soldados ucranianos repeliram todos os ataques e mantêm suas posições. A situação está sob controle", disse Andrei Lisenko, porta-voz presidencial para a operação especial no leste do país.

Lisenko também informou sobre combates em Shirokino, cidade estratégica próxima ao porto de Mariupol, sob controle do governo, e nas imediações do reduto rebelde de Gorlovka.

Por outro lado, o vice-ministro da Defesa das milícias separatistas de Donetsk, Eduard Basurin, negou que os insurgentes tenham iniciado uma ofensiva em grande escala e acusou Kiev de atacar as bases pró-Rússia em violação do cessar-fogo em vigor na região desde o dia 15 de fevereiro.

As autoridades locais informaram a morte de um civil na cidade de Yanakievo, não muito longe de Donetsk, principal reduto dos rebeldes.

O Centro de Controle e Coordenação, que inclui militares russos e ucranianos, informou sobre bombardeios de ambos os lados com armamento pesado na região do aeroporto de Donetsk.

A Ucrânia e os separatistas realizaram na terça-feira, em Minsk, a segunda rodada dos grupos de trabalho para a regulação do conflito, mas as diferenças persistem sobre alguns assuntos, como as condições para a realização de eleições nas regiões rebeldes devido aos acordos de paz de fevereiro. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
KievUcrâniaRússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.