Ucrânia diz que forças russas avançam além da Crimeia

Um oficial ucraniano disse que forças russas se apoderaram de uma estação de distribuição de gás natural próxima da Crimeia neste sábado, véspera da realização de um referendo sobre se a região deve ser anexada por Moscou. A ação em Strelkova parece ser a primeira para além dos limites da Crimeia, que está sob o controle efetivo de forças russas desde o mês passado.

Agência Estado

15 de março de 2014 | 13h26

Oleg Slobodyan, um porta-voz da segurança de fronteira, disse que um contingente de cerca de 120 militares ocuparam a estação em Strelkova, que fica num raio de distância de cerca de 10 quilômetros da Crimeia. O Ministério da Defesa havia informado antes que uma tentativa russa de tomar a estação havia sido frustrada, mas Slobodyan afirmou que tal informação estava desatualizada.

Enquanto a Crimeia se prepara para o referendo, dezenas de peças de propaganda pela capital da região programam "Juntos com a Rússia". Algumas foram pichadas e no lugar de "Rússia" se escreveu "Ucrânia". A questão de se a Crimeia, uma península estratégica que sedia uma importante base naval russa, deve ser parte da Rússia levanta paixões dos dois lados.

Apoiadores dizem que a região pertence a Rússia por direito e que o governo que substituiu o presidente Viktor Yanukovych é composto por nacionalistas de mentalidade fascista que abusam da maioria étnica russa da Crimeia. Oposicionistas criticam a mão pesada da Rússia, já que a Crimeia está efetivamente sob controle de Moscou desde o envio de forças mês passado.

Em Simferopol, ao menos mil pessoas lotaram uma praça neste sábado em frente a um equipamento de som e duas grandes telas de TV enquanto se exibiam musicais russos louvando a "amizade das nações" e a própria Rússia. Um conjunto com fantasias de personagens de contos de fadas cantava "não deixe de se apaixonar pela Rússia". Nenhuma bandeira Ucraniana era visível. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaCrimeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.