Ucrânia diz que iniciou ofensiva para retomar Donetsk

Forças ucranianas estão avançando para subúrbio de cidade estratégica com objetivo de retomar controle da região

Agência Estado

26 Julho 2014 | 12h45

Autoridades da Ucrânia afirmaram que suas forças de segurança avançaram para o subúrbio de uma cidade estratégica ao norte de Donetsk neste sábado, na esperança de retomar o controle sobre a região controlada por rebeldes pró-Rússia. O movimento ocorre no momento em que as forças ucranianas parecem ter ganhado espaço depois de reconquistarem território dos rebeldes.

O porta-voz de segurança nacional da Ucrânia, Andriy Lysenko, anunciou que as forças do governo estão próximas de Horlikva, ao norte da região central de Donetsk. "A rota direta está aberta para as forças da operação antiterrorista para a capital da região de Donbass, a cidade de Donetsk", disse Lysenko.

Donetsk, uma cidade de cerca de um milhão de pessoas, é um grande centro para os rebeldes separatistas que têm lutado contra as forças do governo de Kiev por cinco meses. A rodovia ao norte de Donetsk foi bloqueada por rebeldes e o som de artilharia naquela direção podia ser ouvido. Explosões foram ouvidas na direção do aeroporto da cidade, no limite ao norte, uma área frequentemente disputada por forças ucranianas e por rebeldes. Fumaça preta saiu da direção de Yakovlikva, um subúrbio ao norte de Donetsk.

Há cerca de 60 quilômetros a leste, o local onde o avião da Malaysia Airlines foi abatido ainda estava praticamente vazio, exceto pela presença de parentes de algumas das 298 vítimas. Nove dias depois do acidente, uma investigação completa ainda não começou em razão dos riscos de segurança.

Dois aviões de carga levaram mais 38 caixões carregando as vítimas para um centro forense na Holanda para identificação e investigação. Os aviões partiram neste sábado de Kharkiv, uma cidade controlada pelo governo para onde os corpos têm sido levados. Com isso, os voos já levaram a totalidade dos 227 caixões contendo corpos de vítimas que chegaram a Kharkiv de trem. Ainda há restos mortais de algumas vítimas no local da queda do avião. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Ucrânia Rússia violência Donetsk

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.