Ucrânia diz que não permitirá entrada de comboio de ajuda russo

Arseny Yatseniuk, primeiro-ministro ucraniano, classificou ação do governo russo como um ato de cinismo

Natalia Zinets, Reuters

13 de agosto de 2014 | 07h13

O primeiro-ministro ucraniano, Arseny Yatseniuk, denunciou o comboio de ajuda humanitária enviado pela Rússia como um ato de "cinismo" russo, e o ministro do Interior da Ucrânia disse que não será permitido que entre no país.

Falando em uma reunião do governo, Yatseniuk disse: "o nível do cinismo russo não conhece nenhum limite. Primeiro eles mandam tanques, mísseis e bandidos que atiram contra ucranianos e depois eles enviam água e sal".

O ministro do Interior, Arsen Avakov, disse em sua página no Facebook: "Nenhum 'comboio humanitário' de Putin será permitido atravessar o território da região de Kharkiv. Não será permitida a provocação de um agressor cínico".

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIARUSSIACOMBOIONAODEIXA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.