Ucrânia e EUA iniciam treinamento militar no Mar Negro

Um exercício militar conjunto da Ucrânia e dos Estados Unidos começou hoje no Mar Negro, em meio a protestos contra a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que demonstraram a profunda hostilidade que várias pessoas têm nesta ex-república soviética contra o bloco militar ocidental. Os exercícios militares terão a duração de duas semanas e também envolvem outros 15 países, todos integrantes da Otan. O objetivo é treinar para a participação em missões de paz. Os líderes ucranianos que são favoráveis à adesão do país ao bloco esperam que as manobras ajudem a levar o país mais próximo à Otan e aos padrões militares do Ocidente. Os exercícios envolverão navios de guerra, aviões, helicópteros, veículos blindados e vários tipos de tropas. Manifestantes contra a Otan montaram acampamentos próximos às áreas das manobras, na costa do Mar Negro, e planejam protestos.A possibilidade de ingressar na Otan é uma questão decisiva na Ucrânia, um país do tamanho da França com 46 milhões de habitantes, que fica entre a Rússia e as nações do Leste Europeu que já fazem parte do pacto militar. O presidente ucraniano pró-Ocidente, Viktor Yushchenko, e outros líderes, pediram formalmente ao pacto em janeiro para que estabeleça um cronograma de entrada à Ucrânia, provocando barulhentos protestos nas ruas e manifestações contrárias no Parlamento. A Otan não respondeu o pedido - em grande parte, por preocupações com a Rússia, que se opõe abertamente à entrada do país vizinho no pacto. De acordo com uma pesquisa conduzida em junho pelo respeitado Centro Razumkov, 60% dos ucranianos são contra a Ucrânia ingressar na Otan. Em fevereiro deste ano, 53% eram contrários à adesão. Apenas 21% dos ucranianos, nas duas pesquisas, manifestaram-se a favor da participação do país na aliança. O restante dos entrevistados revelou-se indeciso ou indiferente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.