Ucrânia emite novo mandado de prisão contra ex-premiê

Um tribunal da Ucrânia ordenou a prisão, por tempo indeterminado, da ex-primeira-ministra Yulia Tymoshenko, mesmo se a atual sentença dela, de sete anos, for derrubada, informou o escritório dela nesta sexta-feira. A corte Shevchenkivsky, na capital Kiev, ordenou a prisão de Tymoshenko na noite de quinta-feira em meio a uma investigação sobre a atividade de uma companhia de energia que ela liderou há 15 anos.

AE, Agência Estado

09 de dezembro de 2011 | 12h10

A decisão mostra que as autoridades ucranianas permanecessem inflexíveis em relação à forte pressão do Ocidente para libertar a líder de oposição do país. Os Estados Unidos e a Europa acusam a sentença aplicada a Tymoshenko de ser motivada por questões políticas e exigem a libertação dela.

O advogado de Tymoshenko, Serhiy Vlasenko, disse que a prisão dela é por tempo indeterminado, o que viola a lei. "Tymoshenko foi presa para sempre", disse ele, de acordo com um comunicado no site da líder de oposição. "É uma brutal e flagrante violação da legislação atual." O tribunal se recusou a comentar o caso.

Tymoshenko está apelando da sentença de sete anos de prisão. Uma audiência-chave é esperada para a próxima segunda-feira. Ela foi condenada em outubro por abuso de poder enquanto negociava um contrato de importação de gás natural com a Rússia, em 2009. Tymoshenko alega inocência e acusa o presidente Viktor Yanukovych de ordenar a prisão dela para impedi-la de concorrer nas eleições. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaTymoshenkoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.