Ucrânia já recuperou 181 corpos de vítimas de queda de avião malaio

Milícias pró-Rússia que combatem tropas de Kiev no leste do país – e segundo membros do governo teriam disparado o míssil – estão com as caixas-pretas do avião e irão 'avaliar' o que fazer com elas

O Estado de S. Paulo

18 Julho 2014 | 08h43

KIEV - Equipes de resgate encontraram até o início desta manhã 181 corpos de vítimas da queda do voo MH17 da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia. O avião, que segundo autoridades americanas e ucranianas foi derrubado por um míssil, levava 298 pessoas de Amsterdã, na Holanda, para Kuala Lampur, na Malásia. 

Milícias pró-Rússia que combatem tropas de Kiev no leste do país – e segundo membros do governo teriam disparado o míssil – estão com as caixas-pretas do avião. Os rebeldes disseram que irão “avaliar” o que fazer com as peças. 

Destroços do avião se espalham por campos entre dois vilarejos do leste ucraniano: Rozsypne e Hrabove. O acesso ao local é difícil e perigoso. Rebeldes instalaram cinco postos de controle na estrada que liga Donetsk, a maior da região, ao local do acidente. 

Combates entre as milícias e o Ex ército continuam nas proximidades. Pela manhã, era possível ouvir os disparos de mísseis Grad. Nos dois vilarejos, destroços de corpos e do avião estavam espalhados por campos de flores. A cauda do avião caiu a uma distância de 10 km de outras partes da fuselagem. 

Um miliciano disse à Associated Press que o avião tinha sinais de ter sido atingido por um projétil. A área tem sido palco de duros combates nos últimos dias. Na véspera do acidente, os rebeldes se gabavam de ter derrubado dois jatos militares ucranianos. / AP

Mais conteúdo sobre:
Voo MH17 Ucrânia Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.