Ucrânia não vai recuar na operação antiterrorismo

O presidente interino da Ucrânia, Oleksandr Turchynov, disse em um discurso à nação nesta quinta-feira que o país não vai recuar na sua operação "antiterrorismo" contra os insurgentes pró-Rússia que estão atuando no leste do país.

AE, Agência Estado

24 de abril de 2014 | 12h49

Turchynov mais uma vez acusou a Rússia de apoiar os rebeldes do leste do país e exigiu que Moscou pare com sua campanha de intimidação e deixe de interferir nos assuntos internos do seu país. "A Rússia coordena e apoia abertamente os assassinos terroristas no leste da Ucrânia", disse o presidente interino, em referência aos insurgentes que tomaram o controle de edifícios do governo em pelo menos 10 cidades no início deste mês.

O presidente interino disse também que a Rússia deve recuar suas tropas da fronteira com a Ucrânia e "parar com as constantes ameaças e chantagens".

As falas de Turchynov vem horas depois de o Ministério da Defesa russo anunciar novos exercícios militares próximo à fronteira com a Ucrânia.

Segundo fonte da segurança nacional ucraniana, sete militantes pró-Rússia foram mortos na operação, destinada a remover homens armados que ocupam prédios do governo. No entanto, há relatos conflitantes sobre o número de mortos. O Ministério do Interior da Ucrânia afirmou que cinco militantes morreram. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaOperaçõesAtualiza 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.