Ucrânia pede que Rússia apoie plano de paz 'com ações'

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, pediu nesta quinta-feira que a Rússia apoie seu plano de paz "com ações, não palavras". Mais de 300 pessoas foram mortas no leste ucraniano nas últimas semanas em confrontos entre insurgentes pró-Rússia e forças do governo.

Agência Estado

26 de junho de 2014 | 08h33

Na última sexta-feira, a Ucrânia anunciou um cessar-fogo unilateral e alguns grupos rebeldes afirmaram que também respeitariam a medida.

Falando a Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa em Estrasburgo, nesta quinta-feira, Poroshenko pediu que Moscou apoie seu plano de paz com ações e, especificamente, evite que separatistas armados cruzem a fronteira russa com a Ucrânia.

"Sem isso, não podemos falar sobre paz", declarou Poroshenko. "Que apoie o plano de paz com ações, não palavras, porque essas ações vão interromper o assassinato de civis e de militares que defendem a soberania e a integridade territorial do Estado."

O presidente russo Vladimir Putin disse que apoia o plano. Nesta semana ele conseguiu o apoio da câmara alta do Parlamento russo, que cancelou a autorização para o uso da força na Ucrânia. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaRússiaplano de pazações

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.