Ucrânia pede que UE pressione mais a Rússia

As autoridades da Ucrânia se demonstraram impacientes com a forma que a União Europeia (UE) e os Estados Unidos responderam ao referendo da Crimeia que aprovou o anexo do território à Rússia. O governo ucraniano pediu mais vigor e pressão às sanções contra os russos.

AE, Agência Estado

17 de março de 2014 | 09h57

Nesta segunda-feira, os ministros de Relações Exteriores da UE se reuniram e decidiram por impor sanções específicas, como congelamento de bens proibição da entrada de russos em território europeu.

"Eu não acho que isso seja o suficiente", disse Andriy Deshcytsia, atual ministro de Relações Exteriores. "O que nós precisamos é uma posição muito clara, uma posição unificada e forte por parte da União Europeia", afirmou. "Está mais do que na hora de eles (UE) mostrar o que deve ser os seus maiores valores".

Os chefes dos Estados europeus ainda vão se reunir no fim da semana em Bruxelas e há expectativa de que novas sanções contra a Rússia sejam impostas.

Os ucranianos mostraram cuidado na hora de emitirem críticas e expressaram gratidão pelas ações dos norte-americanos e europeus. Entretanto, fizeram questão de deixar claro sua ânsia por novas medidas.

"Na minha opinião, os membros da UE ainda não usaram 100% do seu potencial, aquele instrumento que obrigue os russos a sentarem na mesa e negociarem", disse Kostiantyn Yeliseiv, embaixador da Ucrânia na União Europeia. "Há um grande espaço para melhorias", complementou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
UCRÂNIAUESANÇÕES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.