Arash Khamooshi/The New York Times
Arash Khamooshi/The New York Times

Ucrânia quer indenização maior para famílias de vítimas de ataque a avião no Irã

País, que admitiu ter abatido Boeing acidentalmente, ofereceu US$ 80 mil (aproximadamente R$ 342 mil) para cada família

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2020 | 18h47

O presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, disse neste domingo, 2, não estar satisfeito com o valor da indenização que o Irã ofereceu às famílias dos ucranianos mortos na queda do Boeing 737 abatido por engano por forças iranianas no início de janeiro.

“O Irã imediatamente nos ofereceu US$ 80 mil (aproximadamente R$ 342 mil) para cada família. É muito pouco. Pressionaremos por uma quantia maior”, disse Zelenski em entrevista à TV ucraniana. 

O avião foi atingido por um míssil em 8 de janeiro, pouco depois de deixar Teerã a caminho de Kiev. O Irã admitiu que suas forças abateram o avião da Ucrânia International Airlines por engano, depois de inicialmente negar  participação no incidente. Todas as 176 pessoas a bordo, incluindo 11 ucranianos, morreram.

Zelenski também disse que a Ucrânia ainda estava esperando o Irã entregar as caixas pretas do avião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.