Ucrânia rejeita pedido para libertar ex-premiê

Yulia Tymoshenko, detida há uma semana em Kiev, é acusada de abuso de autoridade

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2011 | 12h29

Manifestantes pedem a libertação de Tymoshenko em Kiev      

 

 

KIEV - Um tribunal da Ucrânia rejeitou um pedido para a libertação da ex-primeira-ministra ucraniana Yulia Tymoshenko, que permanece detida em uma penitenciária em Kiev há uma semana, por desacato ao judiciário. Ela é julgada por abuso de autoridade. Tymoshenko afirma que seu julgamento tem motivações políticas e que é perseguida pelo presidente ucraniano Viktor Yanukovich.

Nesta sexta-feira, o Tribunal de Apelações de Kiev recusou-se a analisar um pedido para a libertação, alegando que o Código Penal da Ucrânia não permite esse tipo de análise. O advogado de defesa da ex-premiê, Yuriy Sukhov, disse que apelará à Suprema Corte.

Tymoshenko é acusada de fechar um acordo desvantajoso para a Ucrânia com a Rússia em 2009, para a compra do gás natural russo. Ela afirma que agiu dentro da lei e que o acordo levou ao fim de semanas de desabastecimento do combustível tanto na Ucrânia quanto na Europa Ocidental.

Os Estados Unidos e a União Europeia criticaram o julgamento da ex-premiê, enquanto até a Rússia criticou a detenção da política. Yanukovich derrotou a ex-premiê nas eleições presidenciais ucranianas de 2010.

As informações são da Associated Press. 

Tudo o que sabemos sobre:
UcrâniaTymoshenkoYanukovichpolítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.