Ucrânia renuncia ao uso de urânio enriquecido

A Ucrânia anunciou ontem que vai abrir mão de todo seu estoque de urânio enriquecido até 2012 e converterá suas usinas de pesquisas para que passem a usar urânio de baixo nível de enriquecimento (inferior a 20%). O país é detentor de um dos maiores estoques de urânio enriquecido do mundo.

Patrícia Campos Mello e Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2010 | 00h00

O anúncio foi comemorado pela Casa Branca, que precisava mostrar resultados em sua Cúpula de Segurança Nuclear, que começou na noite de ontem.

A Ucrânia, uma ex-república soviética, concordou em abrir mão de 90 quilos de urânio enriquecido, material essencial para bombas nucleares. "Os EUA vêm tentando há dez anos chegar a esse acordo", disse Robert Gibbs, porta-voz da Casa Branca. "O material é suficiente para fazer pelo menos três bombas."

Segundo o conselheiro da Casa Branca para combate ao terrorismo, John Brennan, o material que será retirado da Ucrânia é exatamente o tipo que a Al-Qaeda vem tentando comprar. Ainda não foi decidido quem vai ficar com o urânio da Ucrânia.

O acordo é semelhante ao assinado com o Chile na semana passada. O Chile enviou aos EUA seu último lote de dejetos de urânio enriquecido, que estava em reatores de pesquisa. Outros 17 países, entre eles o Brasil, fizeram o mesmo, /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.