AFP
AFP

Ucrânia transmite ao vivo remoção de maior estátua de Lenin no país

Desde que uma revolta pró-Ocidente resultou na saída do presidente apoiado pela Rússia Viktor Yanukovich em 2014, a Ucrânia aprovou leis para romper os laços da ex-república soviética com seu passado comunista

O Estado de S. Paulo

17 de março de 2016 | 15h51

KIEV - Os esforços exaustivos para derrubar o maior monumento a Vladimir Lenin remanescente na Ucrânia tiveram resultado nesta quinta-feira, 17, quando operários retiraram uma estátua do ex-líder soviético de sua base em Zaporizhzhya, no sudeste ucraniano.

Desde que uma revolta pró-Ocidente resultou na saída do presidente apoiado pela Rússia Viktor Yanukovich em 2014, a Ucrânia aprovou leis para romper os laços da ex-república soviética com seu passado comunista – medida que alguns criticaram como uma tentativa de apagar a história.

Quase mil de 2,5 mil estátuas de Lenin foram removidas desde que os manifestantes antigoverno derrubaram um monumento dele em Kiev no fim de 2013, mas a imagem de 20 metros de Zaporizhzhya vinha resistindo a diversas tentativas de remoção.

"Seria fácil demoli-la: coloque um explosivo, estoure ela e tudo o mais, mas tirá-la cuidadosamente e transportá-la para um depósito de estátuas totalitárias exige mais cuidado", disse a porta-voz da prefeitura local.

Uma câmera transmitindo imagens ao vivo pelo YouTube da remoção da estátua atraiu milhares de visualizações. Os comentários no vídeo destacaram o quão polarizada a região se tornou a partir do levante de 2013-2014, com a anexação russa da península da Crimeia e o conflito separatista pró-Rússia, que já matou mais de 9 mil pessoas. 

Vários vídeos da remoção também foram postados no Youtube por testemunhas que acompanharam o procedimento. / REUTERS 

Mais conteúdo sobre:
UcrâniaRússiaLênin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.