Ucranianos chegam a acordo sobre reforma eleitoral

Forças da oposição e do governo na Ucrânia concordaram em aprovar emendas constitucionais e uma reforma eleitoral, questões que ameaçavam lançar uma sombra sobre a nova votação presidencial, marcada para o dia 26 de dezembro. O comitê de coordenação do Parlamento chegou a um acordo e as votações ocorrerão na terça-feira, disse Stepan Havrysh, um importante líder da situação.Como parte do acordo, o presidente em final de mandato, Leonid Kuchma, poderá ter de demitir o premier Viktor Yanukovych, cuja vitória no segundo turno da eleição presidencial de 21 de novembro foi impugnada por fraude. O acerto entre as partes ocorre dois dias depois de os parlamentares terem rejeitado uma reforma eleitoral proposta pela oposição, com o objetivo de evitar a repetição das fraudes denunciadas no segundo turno, e uma reforma constitucional aumentando os poderes do Parlamento.O líder da oposição, Viktor Yushchenko, diz que a proposta de aumentar os poderes do Parlamento tem como objetivo enfraquecê-lo quando for eleito presidente. Yushchenko é o favorito para o pleito de 26 de dezembro.Havrysh disse que Kuchma poderá ir ao Legislativo na terça-feira para sancionar o pacote de reformas, dissolver o Gabinete e nomear um novo primeiro-ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.