Ucranianos e poloneses são retirados da Síria

Um avião militar da Ucrânia retirou dezenas de ucranianos, poloneses e sírios da cidade de Alepo, Síria, nesta quarta-feira. A maioria são mulheres casadas com homens sírios, bem como crianças.

AE, Agência Estado

01 de agosto de 2012 | 14h25

As famílias são um legado dos fortes laços que existiam entre o bloco soviético e os países árabes, quando era comum estudantes árabes irem estudar engenharia, medicina e outras matérias técnicas no leste europeu, às vezes retornando com esposas.

O porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Ucrânia, Oleksandr Dikusarov, disse que o avião decolou de Alepo nesta quarta-feira com 138 ucranianos, 15 poloneses e sete sírios à bordo, e passará rapidamente por Damasco para pegar mais 41 ucranianos.

Os europeus chegaram até o aeroporto de Alepo em segurança, apesar de ataques na estrada de acesso no dia anterior, disse o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da Polônia, Marcin Bosacki. O avião deve aterrissar em Kiev na noite de quarta-feira e então seguir para a Polônia. De acordo com Bosacki, muitos poloneses preferiram ficar na Síria. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaPolôniaUcrânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.