UE ampliará sanções contra Síria

Lista de pessoas e entidades afetadas pela medida será anunciada nesta sexta-feira

Efe

01 Setembro 2011 | 11h01

BRUXELAS - A União Europeia (UE) anunciará nesta sexta-feira uma nova ampliação da lista de pessoas e entidades sobre as quais se aplicam sanções por sua colaboração com o regime sírio de Bashar al Assad, indicaram nesta quinta-feira fontes do bloco.

 

Veja também:

especialInfográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio

 

 

Os nomes e detalhes dos que não serão conhecidos até que, no sábado, apareçam publicados no "Diário Oficial da UE", mas já se sabe que são indivíduos e entidades envolvidos que apoiaram economicamente ao regime.

 

As medidas punitivas incluem o congelamento de fundos e a proibição de viagens, confirmaram as mesmas fontes, que além disso anteciparam que os novos sancionados são de nacionalidade síria.

"São sírios, não acho que haja nenhum iraniano dessa vez", comentaram as fontes.

 

A decisão será adotada e publicada ao mesmo tempo que o embargo às importações de petróleo procedentes da Síria, que no ano passado representaram 1,5% do total de petróleo adquirido pela Europa.

 

Os únicos países da UE que neste momento compram petróleo sírio são Espanha, Alemanha, Itália, Holanda, França e Áustria, mas a proibição afetará todo o bloco.

 

O veto às exportações de petróleo da Síria, destinadas em 95% à UE, pretende elevar a pressão sobre o regime de Bashar al Assad para que detenha a repressão da população civil de seu país.

 

Fontes da UE reconheceram nesta quarta-feira que o embargo poderia ser aprovado junto com um período de adaptação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.