UE aplica sanções contra chefes de inteligência russos

A União Europeia estendeu as sanções impostas contra a Rússia a altos oficiais de inteligência e líderes da revolta pró-Rússia no leste da Ucrânia, segundo informam documentos oficiais.

Agência Estado

26 de julho de 2014 | 11h00

Entre as 15 novas pessoas objeto de um congelamento de bens e proibição para viagens estão Alexander Bortnikov, chefe do Serviço Federal de Segurança da Federação Russa (FSB) e Sergei Beseda, chefe do departamento de operações internacionais e atividade de inteligência. Quatro membros do Conselho de Segurança da Rússia também foram incluídos na lista.

As novas medidas, destinadas a pressionar Moscou e seus aliados na Ucrânia, foram anunciadas no jornal oficial da UE e passam a ter efeito imediato. Ao mesmo tempo, dezoito organizações ou negócios, incluindo formações rebeldes no leste da Ucrânia, foram acrescentados na lista de bloqueio comercial.

A ação trouxe para 87 o número total de pessoas sob sanção da UE por conta de fatos relacionados à anexação da Crimeia e à revolta no leste da Ucrânia. Dois negócios de energia baseados na Crimeia já tinham tido seus bens da UE congelados.

Mais cedo na sexta-feira, embaixadores chegaram a um acordo preliminar para irem ainda mais além nas sanções a Rússia, mirando seu acesso ao mercado de capitais europeu e negócios no setor de defesa, uso de bens e tecnologias sensíveis.

Em um documento preparado pelos embaixadores, autoridades da UE sugerem restringir o acesso de instituições financeiras russas detidas pelo Estado ao mercado de capitais da Europa. Apenas no ano passado, segundo o documento, 47% de todos os títulos de dívida emitidos por essas instituições vieram do mercado financeiro europeu, uma captação de 7,5 bilhões de euros. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiasanções

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.