UE aprovará envio de policiais para reforçar missão da ONU no Haiti

Os 27 países do bloco realizam reuniões do Conselho de Assuntos Gerais, sob a Presidência do ministro espanhol Miguel Angel Moratinos, que explicará as prioridades do semestre

EFE

25 de janeiro de 2010 | 06h23

Os ministros de Exteriores da União Europeia aprovarão nesta segunda-feira o envio de uma força de policiais militarizados para reforçar a missão da ONU no Haiti e debaterão as ajudas que cada Estado-membro deve oferecer para coordenar a assistência ao país caribenho após o terremoto do 12 de janeiro.

 

Os 27 países do bloco realizam reuniões do Conselho de Assuntos Gerais, sob a Presidência do ministro espanhol Miguel Angel Moratinos, que explicará as prioridades do semestre, e do Conselho de Relações Exteriores, presidido pela alta representante, Catherine Ashton.

 

Este Conselho de Relações Exteriores debaterá sobre o Haiti, Somália e Irã, entre outros assuntos.

 

No que diz respeito ao Haiti, a Europa planeja enviar pelo menos entre 220 e 240 agentes de países com corpos de Polícia militarizada, como a Guarda Civil espanhola, a Gendarmaria francesa ou os Carabineiros italianos.

 

Estes policiais estarão sob comando das Nações Unidas, embora exibirão um distintivo europeu em seus uniformes, segundo explicaram fontes comunitárias.

Tudo o que sabemos sobre:
Haiti

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.