UE atenua sanções ao Zimbábue após referendo

A União Europeia (UE) atenuou as sanções impostas ao Zimbábue depois de o país africano ter levado a referendo, no início do mês, uma nova constituição.

AE, Agência Estado

25 de março de 2013 | 17h04

A comissária de Relações Exteriores da UE, Catherine Ashton, anunciou hoje que os 27 países do bloco suspenderão imediatamente as sanções contra oito entidades e 81 indivíduos zimbabuanos.

No entanto, o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, e os principais comandantes da polícia e do exército do país continuam na lista, que agora contém um total de dez indivíduos e duas empresas.

"Alguns importantes tomadores de decisão permanecerão sujeitos a medidas restritivas até que eleições pacíficas, transparentes e dignas de crédito sejam conquistadas", declarou Ashton.

A decisão está em linha com o discurso recente da diplomacia europeia de que o Zimbábue deve ser recompensado por manter o ritmo das reformas, mas a pressão deve ser mantida para que o processo continue avançando.

Ao mesmo tempo em que anunciou o alívio das sanções, Ashton queixou-se de "recentes relatos de intimidação e assédio a ativistas políticos e representantes da sociedade civil" no Zimbábue. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
UEZimbábue

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.