UE avalia recursos para ajuda no combate ao Ebola, diz ministra da Itália

UE avalia recursos para ajuda no combate ao Ebola, diz ministra da Itália

Bloco prometeu 140 milhões de euros para reforçar a luta contra o Ebola na África

REUTERS

22 de setembro de 2014 | 11h22

Os países europeus estão avaliando os recursos de que dispõem para ajudar a combater o Ebola e também planejando uma resposta coordenada ao pior surto do vírus registrado até hoje, disse a ministra da Saúde da Itália, Beatrice Lorenzin, à margem de uma reunião nesta segunda-feira.

A União Europeia prometeu 140 milhões de euros (180 milhões dólares) para reforçar a luta contra o Ebola na África Ocidental, onde a febre hemorrágica já matou pelo menos 2.793 pessoas em cinco países, segundo a Organização Mundial de Saúde.

"Apenas quatro ou cinco países na Europa estão equipados. Vamos trabalhar em conjunto para coordenar os esforços de ajuda", disse ela, à margem de um encontro de ministros da Saúde da UE em Milão.

Beatrice afirmou que nesta segunda-feria não seriam adotadas decisões definitivas sobre como proceder, mas a UE vai formular um plano de ação para apresentar numa próxima reunião em Washington.

Não houve casos de italianos com Ebola, mas há cidadãos da UE que contraíram a doença na África Ocidental e foram repatriados para a Grã-Bretanha, França e Espanha.

(Reportagem de Ilaria Polleschi)

Mais conteúdo sobre:
GERALEBOLAEUROPA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.