Efe
Efe

UE busca aprovação da ONU para apreender barcos de imigrantes

Segundo fontes diplomáticas, uma resolução foi redigida por membros europeus do Conselho de Segurança sob o Capítulo 7 da Carta da ONU, que permite o uso da força

O Estado de S. Paulo

06 de maio de 2015 | 18h03

NOVA YORK - A Europa está buscando a aprovação do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para apreender barcos usados para tráfego de imigrantes no Mar Mediterrâneo a partir da Líbia, mas diplomatas disseram que a Rússia demonstrou que não vai permitir a destruição de embarcações.

Os líderes da União Europeia concordaram no mês passado em "identificar, capturar e destruir navios antes de serem utilizados pelos traficantes", mas não está claro como isso pode ser alcançado, e o bloco de 28 nações quer autorização da ONU para esta operação.

Diplomatas da ONU, falando sob condição de anonimato, disseram que uma resolução foi redigida por membros europeus do Conselho de Segurança (Grã-Bretanha, França, Lituânia e Espanha) sob o Capítulo 7 da Carta da ONU, que permite o uso da força.

O esboço do texto autorizaria a intervenção da UE em alto mar, em águas territoriais da Líbia, para apreender navios "para evitar o tráfico, o contrabando e a imigração ilegal pelo Mediterrâneo", afirmou um diplomata da ONU.

Diplomatas disseram que a Rússia, que tem poder de veto no Conselho de Segurança, inicialmente parecia apoiar as medidas, mas mudou posição sobre aprovar a destruição de barcos. A missão russa na ONU não estava imediatamente disponível para comentar o assunto.

A chefe de Política Externa da UE, Federica Mogherini, deve informar ao Conselho de Segurança da ONU a portas fechadas na segunda-feira sobre as operações propostas. Diplomatas disseram que um projeto de resolução poderia ser distribuído aos 15 membros do Conselho na próxima semana. / REUTERS 

Tudo o que sabemos sobre:
ONUUEimigrantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.