UE cobra investigação de assassinato de jornalista russa

A Presidência rotativa da União Européia (UE), exercida pela Finlândia, emitiu neste domingo um comunicado no qual condena o assassinato da jornalista russa Ana Politkovskaya e pede uma "investigação conscienciosa" do crime.No texto, a Presidência da UE lembra que Politkovskaya era "uma defensora da liberdade de expressão na Rússia" e pede uma "investigação conscienciosa deste crime atroz para que os que o cometeram sejam levados à Justiça".Além disso, a nota expressa, em nome da UE, seus pêsames à família e aos amigos da jornalista, baleada no sábado no prédio onde morava em Moscou.Além da Presidência da UE, o presidente rotativo da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE), Karel de Gucht, também condenou hoje o assassinato da jornalista e pediu às autoridades russas que investiguem o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.