UE começa a implementar embargo a petróleo da Síria

A União Europeia implementou formalmente neste sábado o embargo à importação de petróleo da Síria e outras sanções econômicas contra o país, numa tentativa de isolar o regime do presidente Bashar al-Assad. Os detalhes das medidas foram publicadas no Jornal Oficial da UE.

AE, Agência Estado

03 Setembro 2011 | 16h10

A comissária de Relações Exteriores da UE, baronesa Catherine Ashton, também advertiu que novas sanções poderão ser adotadas, caso o regime de Assad continue a usar violência para reprimir protestos da oposição síria. "As novas medidas restritivas têm o objetivo de tentar privar o regime de sua receita financeira. Vamos continuar a pressionar e a buscar maneiras de fazer isso", disse Ashton a jornalistas ao fim de uma reunião dos ministros das Relações Exteriores dos países da UE na Polônia.

O embargo total às importações de petróleo da Síria só entrará em vigor em 15 de novembro, porque o governo da Itália exigiu que empresas europeias com contratos já assinados precisarão de tempo para se ajustar. A Síria produz cerca de 370 mil barris de petróleo por dia e cerca de 150 mil barris/dia são exportados, segundo dados da Agência Internacional de Energias (AIE). Essas vendas, destinadas quase que totalmente à Europa, respondem por cerca de um terço da receita da Síria com exportações. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Síria UE petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.