UE concorda em fazer acordo de extradição com os EUA

Os ministros de Justiça dos 15 países da União Européia (UE) concordaram, em Luxemburgo, em assinar um acordo de extradição e assistência mútua com os Estados Unidos que cobre terrorismo e crime organizado, informaram autoridades da UE. O acordo será firmado mesmo com as objeções da França e de Portugal. Os ministros garantiram aos oponentes do acordo que nenhum suspeito será extraditado caso corra o risco de execução nos EUA."O texto (do acordo) salvaguarda todos os princípios-chave e tradições que temos na Europa", disse o ministro da Justiça da Grécia, Philippos Petsalnikos, que participou do encontro. O acordo deverá ser assinado durante uma cúpula entre a UE e os EUA marcada para 25 de junho, em Washington.França e Portugal se opuseram ao acordo devido aos problemas legais relativos à pena de morte nos EUA e à troca de informações sensíveis e confidenciais sobre suspeitos. O acordo substituirá os 15 tratados de extradição já existentes entre os EUA e as nações que compõem a UE, e permitirá que o bloco decida fazer extradições mediante procedimentos mais simples.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.