REUTERS/Osman Orsal
REUTERS/Osman Orsal

UE condena ataque em Istambul e pede mais esforços contra terrorismo

Presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, qualificou ataque na Turquia como 'brutal'; Alemanha e Dinamarca sugerem a seus cidadãos que evitem pontos turísticos e aglomerações na Turquia

O Estado de S. Paulo

12 Janeiro 2016 | 12h30

BRUXELAS - A União Europeia (UE) manifestou repulsa ao "brutal" atentado que tirou a vida nesta terça-feira, 12, de pelo menos 10 pessoas em uma das zonas mais turísticas de Istambul e pediu aumento dos esforços contra o terrorismo.

"Condeno o brutal ataque terrorista em Istambul hoje. Meus pensamentos estão com as vítimas", disse o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que lidera a instituição comunitária que representa os chefes de Estado e de governo em Bruxelas.

Pelo menos 10 pessoas morreram e outras 15 ficaram feridas na forte explosão que ocorreu hoje perto da Mesquita Azul de Istambul, na turística zona de Sultanahmet. O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou que o atentado foi obra de um "terrorista suicida de origem síria".

"A UE transfere suas sinceras condolências às famílias das vítimas que morreram no atentado de hoje e deseja uma pronta recuperação aos feridos", afirmaram a chefe da diplomacia comunitária, Federica Mogherini, e o comissário europeu de Política de Vizinhança, Johannes Hann, em comunicado conjunto.

Ambos afirmaram que tanto a UE como a Turquia estão "unidas contra todas as formas de terrorismo" e que combatê-lo é uma das prioridades da cúpula que ambas partes realizaram no final de novembro.

"Temos que intensificar nossos esforços neste sentido, no pleno respeito de nossas obrigações em virtude do direito internacional, incluídos os direitos humanos e as leis humanitárias", disseram. O governo turco proibiu os meios de comunicação de distribuírem vídeos ou fotos relacionados com o atentado, enquanto continuam as investigações.

Berlim. O ministério de Relações Exteriores da Alemanha pediu nesta terça aos cidadãos alemães que estiverem em Istambul que evitem as concentrações em lugares públicos e em frente às atrações turísticas, após a explosão registrada na capital da Turquia, em que pode haver vítimas alemãs.

Fontes do ministério de Relações Exteriores assinalaram que não descartam haver cidadãos alemães atingidos pela explosão. O consultado geral alemão em Istambul está em permanente contato com as autoridades turcas para avaliar a situação, acrescentaram as fontes.

A Dinamarca também se juntou ao alerta emitido pela Alemanha e alertou seus cidadãos na Turquia para tomarem os mesmos tipos de cuidado, especialmente em locais turísticos e de grande aglomeração de pessoas.

O ministério das Relações Exteriores dinamarquês atualizou seu site momentos após a explosão em Istambul aconselhando que as medidas de precaução sejam tomadas "até aviso contrário". / EFE e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.