UE condena ataque palestino e pede rigor a Arafat

A União Européia condenou hoje o ataque de um palestino que matou seis israelenses e pediu a Yasser Arafat que tome medidas contra aqueles que estão sob sua autoridade e não respeitaram a convocação para uma trégua. "Uma vez mais foi perpetrado um ataque terrorista contra civis israelenses. Eu o condeno nos termos mais enérgicos possíveis", disse o espanhol Javier Solana, representante da UE para política exterior e segurança. "Os autores de tais ações não servem aos interesses do povo palestino", disse Solana em um comunicado. "As ações unilaterais de vingança ou represálias também não resolvem problemas", acrescentou. Seis israelenses morreram na noite de ontem na cidade de Hadera quando um ex-policial da Autoridade Palestina disparou contra um salão de banquetes onde cerca de 180 convidados celebravam o bat-mitzvá, confirmação religiosa, de uma menina de 12 anos. A polícia israelense matou o atacante.

Agencia Estado,

18 Janeiro 2002 | 13h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.