UE condena atividades nucleares do Irã em reunião da AIEA

A União Européia (UE) condenou nesta quarta-feira, 7, as atividades nucleares do Irã diante do Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em Viena, por Teerã não ter cumprido as exigências do Conselho de Segurança da ONU sobre suspender seu programa de enriquecimento de urânio.O embaixador alemão na AIEA, Peter Gottwald, disse em nome da UE que os 27 países-membros "lamentam" que o Irã não tenha cumprido a resolução 1.737 do Conselho de Segurança da ONU.A resolução previa a suspensão até 21 de fevereiro do programa de enriquecimento de urânio, material sensível porque pode ter tanto uso civil como militar.A UE condena os planos iranianos de construir um reator de águapesada em Arak (centro do país) para produzir plutônio, material que também pode ser usado para fins militares.O diplomata alemão afirmou à imprensa que a UE critica o fato deque, até agora, só foram feitos "acordos interinos de verificação"na principal fábrica de enriquecimento de urânio no Irã.No entanto, destacou que a UE continua buscando "uma soluçãonegociada a longo prazo" e lembrou que o "direito inalienável" doIrã a aceder à energia nuclear para fins pacíficos foi reafirmadopela UE, pelo Conselho de Segurança e pelo Conselho de Governadores da AIEA."Por isso, a UE quer aproveitar a oportunidade para pedir que oIrã abra o caminho para a negociação, cumprindo os requisitos daresolução 1.737", disse Gottwald em declaração lida no plenário.Os 35 países-membros do Conselho de Governadores da AIEA estão reunidos nesta semana, em Viena, em um encontro dominado pelas questões nucleares de Coréia do Norte e do Irã.O caso iraniano está desde o ano passado no Conselho de Segurança da ONU. Por isso, o Conselho de Governadores não adotará nenhuma resolução, embora permita a utilização do plenário como um fórum para que as partes envolvidas apresentem suas posições.Por outro lado, o Conselho aprovará hoje o corte de ajuda técnicada AIEA ao Irã, concretamente de 22 projetos, já que estão, emparte, relacionados ao programa de enriquecimento de urânio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.