UE critica plano energético dos EUA

A União Européia (UE) criticou nesta quinta-feira, na voz do ministro sueco do Ambiente, Kjell Larsson, o plano energético do governo dos Estados Unidos, julgando que não é o melhor em termos de estratégia para o futuro. A Suécia ocupa atualmente a presidência rotativa da UE. O plano do presidente George W. Bush "é um esforço em massa para desenvolver o petróleo, o gás natural e a energia nuclear, mas não creio que esta seja a melhor das estratégias para o futuro", disse Larsson, em Paris, em entrevista coletiva concedida em uma reunião ministerial da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). "Não é solução para o problema que ainda teremos de enfrentar em termos de mudança climática", declarou. "Para cada milhão de dólares de produto interno bruto gerado pela União Européia, é emitida 1,4 tonelada de gases causadores do efeito estufa. Nos Estados Unidos, para cada US$ 1 milhão de PIB gerado, são lançadas no ar 2,66 toneladas", revelou o ministro sueco. Larsson foi mais fundo e também criticou o rechaço ao Protocolo de Kyoto por parte da nova administração norte-americana. "É deplorável que a nação mais poderosa do mundo fique de fora de nosso esforço global. Não podemos permitir que um país decida tudo o que os outros devem fazer."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.