UE decide reforçar fronteira marítima sul contra imigração ilegal

A União Européia (UE) aprovou nesta quinta-feira em Luxemburgo um plano para reforçar a fronteira marítima sul do bloco, representando um grande apoio à luta da Espanha contra a imigração ilegal, informou o ministro espanhol do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba.Na mesma reunião, os ministros de Interior e Justiça dos 25 países membros da UE também concordaram com o estabelecimento de um mecanismo para informar, a partir do próximo mês, as decisões que cada Estado tomar na área da imigração e asilo.Em 2005, o governo socialista do primeiro-ministro José Luis Rodríguez Zapatero decidiu regularizar a situação de 600 mil imigrantes ilegais na Espanha, atraindo críticas de vários sócios europeus, como a Alemanha, pelo fato de não informar uma medida que, segundo eles, tinha uma dimensão comunitária por causa do tratado que permite a livre circulação dos cidadãos da UE.Segundo os acordos adotados pelos 25 países membros, a UE se compromete a acelerar a criação de equipes de intervenção rápida para enfrentar crises imigratórias como a das Ilhas Canárias, assim como adotar antes de 2007 uma estratégia para o controle de suas fronteiras externas.Os ministros também pediram à Comissão Européia que analise outras medidas operativas que possam ser adotadas a curto prazo para que a UE ajude um Estado membro diante de uma crise imigratória e o possível reforço no pessoal e no orçamento da agência européia de fronteiras (Frontex) em 2007. Também foi pedido à agência que realize um estudo sobre a possibilidade de estabelecer um sistema de vigilância europeu para o conjunto da fronteira marítima do sul do bloco.A imigração ilegal procedente da África tornou-se uma prioridade na UE no último ano, especialmente para Espanha, Itália e Malta, com milhares de imigrantes ilegais arriscando a vida tentando cruzar o mar Mediterrâneo em frágeis embarcações. A Espanha já impediu mais de 24.000 imigrantes ilegais de desembarcaram no país este ano - cinco vezes mais do que em todo o ano de 2005. A Itália já apanhou 12.000 tentando alcançar a Sicília. Apenas este ano, mais de 500 corpos foram resgatados das águas entre a África e as Ilhas Canárias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.