UE declara sua força militar operacional

Os líderes da União Européia irão declarar que a força militar conjunta da Europa já está operacional. De acordo com uma versão preliminar do texto das decisões que serão tomadas pelos líderes dos 15 países da UE ainda hoje, ao final da cúpula de final de ano, a União Européia confirma que já existe progresso suficiente na criação da força militar para declará-la pronta para missões de escopo limitado.A UE está criando uma corporação de reação rápida com 60 mil homens, capaz de entrar em ação num prazo de 60 dias e de se sustentar em campo por até um ano. A força deverá estar totalmente pronta em 2003, para uso em missões de paz e humanitárias das quais a Otan prefira não participar.A força européia não seria usada em defesa de território, que é a área específica da Otan. A União Européia está trabalhando num acordo que daria a sua força de intervenção acesso automático a recursos da Otan como planejamento, inteligência, comunicações e transporte. Após meses de negociações, a UE obteve consentimento da Turquia, que é membro da Otan mas não da União, mas encontrou novos obstáculos da Grécia, que participa de ambas as organizações. Os gregos se recusam a qualquer acordo com os turcos que fira interesses nacionais da Grécia.A declaração de hoje significa que a UE pode, a partir de agora, enviar tropas próprias, independentemente da Otan, em missões pequenas e que requeiram bem menos que a força total de 60 mil homens. A declaração de líderes diz que ?a União é, de agora em diante, capaz de conduzir operações de gerenciamemto de crises?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.