UE deve discutir Ucrânia com Obama durante G-20

Os líderes da União Europeia (UE) devem discutir a escalada da tensão na Ucrânia com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante a reunião do G-20 que acontece neste fim de semana na Austrália. O presidente da UE, Herman von Rompuy, disse neste sábado que, embora o conflito na Ucrânia não esteja na agenda do G-20, o assunto deve ser abordado com Obama.

AE, Estadão Conteúdo

15 Novembro 2014 | 10h05

"Nós vamos continuar a usar todas as ferramentas diplomáticas à nossa disposição, incluindo sanções", comentou Rompuy. "Os ministros de relações exteriores da UE vão avaliar a situação na próxima segunda-feira e discutir novas ações. Precisamos evitar uma retomada de um amplo conflito".

Em um discurso em uma universidade local neste sábado, Obama disse que os EUA são uma das maiores lideranças na oposição ao papel da Rússia na Ucrânia, que ele descreveu como "uma ameaça para o mundo". Ele mencionou a queda do avião da Malasya Airlines no dia 17 de julho, que teria sido abatido por rebeldes russos, e no qual estavam 38 australianos. "Como seu aliado, nós compartilhamos o luto dessas famílias australianas e a determinação do seu país de buscar justiça", afirmou.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, expressou "grave preocupação" com o aumento do apoio da Rússia para separatistas ucranianos e cobrou a implementação do acordo de cessar fogo assinado em setembro.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, chegou a Brisbane na noite de sexta-feira e enfrentou protestos de manifestantes, que pediam que ele fosse impedido de participar do encontro do G-20. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
UEObamaG-20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.