UE deve manter ajuda pelo bem de seus interesses, diz Haniyeh

O primeiro-ministro palestino designado, Ismail Haniyeh, disse neste domingo em entrevista à rádio francesa RFI que a União Européia (UE) deve manter sua ajuda aos palestinos pelo bem de seus interesses na região. "A proteção desses interesses exige encarar positivamente as decisões democráticas do povo palestino", declarou Haniyeh, que advertiu que "a ajuda européia ao povo palestino deve continuar para proteger os interesses europeus na região". O novo premier, que chegou ao poder graças à vitória eleitoral do Hamas, respondia assim à advertência da UE, principal doadora da Autoridade Nacional Palestina, de que deixaria de enviar ajuda caso a organização islamita não renunciasse à violência e não reconhecesse Israel e os acordos assinados com esse Estado. Questionado a respeito desses dois últimos pontos, o chefe do governo palestino respondeu que esses acordos serão tratados "com realismo e sobre a base dos interesses do povo palestino" formalizados no programa político apresentado para a formação de seu executivo. Haniyeh considerou que não cabe aos palestinos fazer concessões - uma vez que "já fizeram muitas" - mas que Israel deveria sim reconhecer "os direitos do povo palestino" e de "um Estado palestino com fronteiras claramente definidas". "O que nos interessa é o fim da ocupação, o fim da colonização, a libertação dos presos políticos e a questão do direito ao retorno dos refugiados palestinos. Se forem criadas essas condições, estaremos dispostos a respeitar uma trégua de longa duração", assegurou Haniyeh.

Agencia Estado,

26 Março 2006 | 15h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.